China, Lingang New City 

Lingang New City

arrowImagesarrow

Concurso 2002/2003 – 1º lugar
Concepção Meinhard von Gerkan
Sócio Nikolaus Goetze
Equipe do projeto Jessica Weber, Annika Schröder, Beate Quaschning, Christoph Böttinger, Wu Wei, Sigrid Müller, Eduard Kaiser, Hsu Hung-Wei, Richard Sprenger, Stephanie Heß, Christian Krüger, Hector Labin, Markus Carlsen
Projeto do porto HPC Hamburg Port Consulting
Paisagistas Breimann & Bruun
Projeto luminotécnico Schlotfeldt Licht
Cliente Shanghai Harbour City Development (Group) Co., Ltd.
Área 74 km²
Habitantes 800.000
Período de construção 2003–2020

 

Photographers:

gmp Architekten / Julia Ackermann

Hans-Georg Esch

www.hgesch.de

Heiner Leiska

www.leiska.de

Marcus Bredt

www.marcusbredt.de

Shanghai
Shanghai é um centro econômico importante e, ao mesmo tempo, um entroncamento vital dentro da China. Como uma cidade de importância histórica e cultural, Shanghai deve se desenvolver no futuro como uma metrópole econômica, financeira e comercial. O crescimento rasante da população de Shanghai, contando hoje com aproximadamente 19 milhões de habitantes, atingirá a marca dos 23 milhões no ano 2020. 18 milhões de habitantes viverão na cidade. Em 2020, o centro da cidade de Shanghai terá uma área estimada de 600 km² e aprox. 9 milhões de habitantes.

Para acomodar o enorme crescimento populacional e industrial de Shanghai, o departamento de planejamento urbano local realizou um concurso internacional para o planejamento de uma nova cidade portuária que incorpora o porto internacional de águas profundas de Yangshan para contêiners. O primeiro prêmio do concurso realizado em várias etapas foi concedido ao escritório de arquiterura de Hamburgo, gmp – von Gerkan, Marg und Partner. A nova cidade satélite planejada, Lingang New City, deve oferecer um espaço de aprox. 74 km² para 800.000 habitantes. Ela representa, ao lado de Chandigharh, Brasília e Camberra, a única cidade planejada desta escala a ser fundada nos últimos cem anos.

Conceito urbanístico
O conceito de Lingang New City retoma os ideais da tradicional cidade europeia, combinando-os com uma ideia "revolucionária". Ao invés de um centro de alta densidade de construção, o ponto central será um lago circular de 2,5 km de diâmetro e um calçadão de 8 km à beira do lago, com uma praia ao estilo de Copacabana bem no coração da cidade. Prédios culturais e instalações de lazer estão localizados em ilhas, seu acesso é realizado através de barcos. O projeto tomou como inspiração a cidade de Alexandria, uma das Sete Maravilhas do Mundo. A qualidade de vida devido à proximidade da água toma Hamburgo como referência. Toda a estrutura da cidade é baseada no conceito metafórico de uma imagem de ondas concêntricas formadas por gotas caindo na água. Seguindo essa alegoria, as estruturas de utilização se agrupam em anéis concêntricos de dentro para fora, em torno do lago central Dishui. Do calçadão ao distrito comercial de alta densidade, um parque circular da cidade com 500 metros de largura incorpora prédios públicos isolados até as áreas residenciais em formas de blocos para 13.000 habitantes, respectivamente. A anel da cidade entre o calçadão do lago e o cinturão verde, o distrito comercial, compõe o centro da vida urbana. Aqui está localizada uma mistura de escritórios, lojas, galerias comerciais, zonas de pedestres e espaços habitacionais densos. A estrutura em camadas concêntricas segue o princípio de uma rosa dos ventos; as ruas e os caminhos saem do centro como raios. Eles dão à cidade um princípio ordenado e claro, dividindo os anéis construídos em setores separados. Desta forma, surge uma rede ideal de acesso, dentro da qual a cidade também pode expandir além da escala planejada. A paisagem avança em forma de cunha até o segundo anel. Riachos e pequenos lagos se estendem a todos os quarteirões, reforçando o mote "Morar à beira da água" em diversas variações.

Construção do anel

Todas as três camadas da construção do anel serão caracterizadas por blocos habitacionais densos, abrandados por praças nos quarteirões e pequenos pocket parks. O anel do calçadão oferece uma vista grandiosa do lago, enquanto o anel seguinte da cidade está livre de trânsito, sendo caracterizado pelas áreas de compras. Por fim, o anel adjacente do parque oferece um local atraente entre o parque da cidade e o lago. A sua parte norte oferece a possibilidade de acomodar moradias. Cada uma das três camadas tem um rosto próprio. Diferenças no gabarito dos blocos, na escolha de materiais e no design dos espaços exteriores propiciam uma variedade excitante. Ao mesmo tempo, todas elas se encaixam em um padrão urbanístico comum que incorpora os prédios individuais de modo plausível e compreensível como partes de um todo, formando um ensemble. Na seleção de materiais de construção para a cidade Lingang New City, é importante considerar a antiga tradição de construção da China, particularmente na região de Shanghai. Uma mescla bem-sucedida da tradição cultural e dos estilos arquitetônicos europeus modernos dará a Lingang sua identidade inconfundível.

As quatorze áreas residenciais, agrupadas no terceiro anel em torno do centro, são integradas como áreas definidas e identificáveis na área rural expandida da província de Nanhui. Esses minicentros autônomos com lojas, serviços, atendimento médico básico, jardins de infância e creches formam comunidades autossuficientes. Se por um lado, a sua grade, o seu tamanho e módulo básico homogêneos, bem como seu padrão de material especificado, demonstram que eles são claramente parte de um grupo. O design dos espaços públicos lhes dá um caráter singular. As praças e parques urbanos são fortemente influenciados por cidades portuárias internacionais, que foram fonte de inspiração. Isso permite mais liberdade de ação para uma individualidade e um caráter inconfundível.

Estrutura radial

A estrutura radial que divide os anéis da cidade em segmentos individuais possui praças de diversos tamanhos e formas ao longo de seu comprimento. A mais notável das praças é a Praça Principal no eixo oeste-leste. Ela atua como prelúdio e convite para um passeio ao longo do calçadão do lago, sendo uma atração para turistas do mundo inteiro. Os canais da cidade, também radiais, assumem funções importantes no abastecimento de água da cidade. Mas também servem para dar estrutura e identidade à área interna da cidade. Seu design e perfil individuais dão a cada canal sua identidade e caráter próprios. Os nomes dos canais relembram os grandes rios do mundo (Mississippi, Ganges, Volga, Jang-tsé, etc.).
Marcos de referência
Os marcos de referência são, em grande parte, os representantes visíveis do ser e da essência de Lingang. A fonte econômica, origem e cultura da cidade se manifestam neles. Eles são prédios solitários, delicados e transparentes na sua materialidade. Como cristais brilhantes, eles são alegorias de uma comunidade urbana, provendo assim o centro da cidade de identidade arquitetônica.

Realização
A primeira fase de construção da nova cidade para 80.000 habitantes na atual área de terra firme foi concluída em 2008. A segunda e terceira fase de construção prosseguem até o ano 2020. A área necessária para tal foi obtida através de aterro do mar. Neste processo de obtenção de terra, também surgiu o Lake Dishui – como o ponto central da nova cidade portuária.