Alemanha, Volkenroda 

Pavilhão de Cristo, Expo 2000

arrowImagesarrow

Concurso 1997 - 1º lugar
Concepção Meinhard von Gerkan e Joachim Zais
Gerente do projeto Jörn Ortmann
Equipe do projeto Ulf Düsterhöft, Monika van Vught, Olaf Schlüter, Matias Otto, Gabriele Wysocki, Andreas Hahn, Thomas Dreusicke, Helge Reimer, Magdalene Weiß, Peter Radomski
Estática Binnewies, Hamburg
Tecnologia de edificações NEK, Braunschweig
Projeto de luminotécnico Conceptlicht Helmut Angerer, Mills/Hall
Paisagismo WES, Hamburg
Consultoria de física das construções Prof. Tepper, Diekholzen
Análise de elementos irregulares de vidro RWTH Aachen, Cátedra de construção de aço, Prof. Sedlacek, W. Laufs
Contrução de aço e fachadas Rüter, Dortmund
Construção de concreto armado, ampliação técnica e instalações externas Strabag, Hannover
Proteção contra incêndios Hosser, Hass + Partner, Braunschweig
Controle do projeto Assmann, Braunschweig
Empreiteiro geral Arge Rüter, Strabag
Comitente Evangelisches Büro für die Weltausstellung Expo 2000 (Escritório Evangélico para a exposição mundial Expo 2000)
Período de construção Expo 2000 1999 - 2000
Área total de construção 2.004 m²
Volume total 18.548 m³
Cliente da reconstrução do Mosteiro Volkenroda
Igreja Evangélica Luterana Estadual de Hanôver
Conferência Episcopal Alemã
EXPO 2000
O pavilhão de Cristo em Volkenroda foi construído por encomenda da Irmandade Jesus-Bruderschaft e.V. Gnadenthal e da Igreja Evangélica Luterana da Turíngia, e em parceria com a Igreja Evangélica Luterana na Alemanha (EKD)
Igreja Evangélica Luterana Estadual de Hanôver com apoio da Fundação Allgemeiner Hannoverscher Klosterfonds (Administração dos bens de mosteiros)
Conferência Episcopal Alemã (Igreja Católica)
Estado Livre da Turíngia
Grupo Friedhelm Loh
Associação Alemã da Indústria do Aço (Wirtschaftsvereinigung Stahl)
e outros patrocinadores
Representante do cliente e supervisão da obra do Mosteiro Volkenroda Bauhütte Volkenroda, Bernward Paulick
Conclusão da reconstrução do Mosteiro Volkenroda Agosto de 2001
Área total de construção 2.004 m²
Volume total 18.548 m³

 

Photographers:

Juergen Schmidt

[email protected]

Klaus Frahm

www.klaus-frahm.de

Princípio básico
A estrutura do pavilhão foi reduzida à apresentação da estrutura do sistema modular com todos os seus detalhes: simples e evidente do ponto de vista estrutural, limitada a poucos materiais, precisa nos detalhes, inconfundível na sua aparência e atmosfera. A materialidade extremamente discreta e simples: mármore, aço revestido, concreto aparente, vidro.

A luz cria a atmosfera na Sala de Cristo. No centro, a luz superior incide no topo das colunas, destacando verticalmente as colunas delgadas. A superfície circundante - painéis de vidro de 11 mm unidos com mármore cristalino e de fina espessura, proveniente da ilha grega de Naxos - é uma estrutura de uma única camada. Sua translucidez brilhante influencia a atmosfera da sala de tal modo que o espaço permanece contemplativo e introvertido, apesar da intensa iluminação.

O "cruzeiro" circundante possui uma cobertura fechada que é provida externamente com uma fachada de vidro de duas camadas, formando vitrines de grandes dimensões nos seus espaços intermediários. Estas são preenchidas com materiais de diversas origens. Dependendo do respectivo preenchimento, as paredes apresentam uma translucidez maior ou menor; parcialmente também são transparentes. Assim, a atmosfera da iluminação é modificada e "dramatizada" de forma variada ao longo do "cruzeiro".

Plano de alocação do espaço
O "cruzeiro" de 3,40 m de largura e aprox. 6,80 m de altura serve simultaneamente como foyer e para exposições. Ele enquadra o complexo inteiro, cuja entrada está marcada por três portões giratórios. O "cruzeiro" inclui as pequenas salas de exposição com a Sala de Cristo grande e imponente de 18 metros de pé direito, cujo teto é suportado por delgadas colunas de aço em forma de cruz.

Sistema de construção de aço
Todos os elementos da construção são montados a partir de uma unidade de construção modular. O sistema modular do "cruzeiro" e da fachada da Sala de Cristo é baseado em uma dimensão espacial de grade no eixo x, y e z. Uma espécie de cubo grande com uma aresta de 3,40 m de comprimento.

A fachada da Sala de Cristo é projetada como um sistema de muro cortina bem simples. Ela é somente encaixada e aparafusada e de fácil montagem. A estrutura do "cruzeiro" é composta por quadros de elementos com uma dimensão de eixo de 3,40 m x 6,80 m. Eles são montados para formar um quadro rígido a partir de 4 perfis típicos em forma de "L" e de fitas de aço, sendo integrados ao "cruzeiro" através de juntas de encaixe.

Os quadros são compostos de quatro partes e de chapas afiadas de metal. As juntas verticais entre os elementos montados recebem as instalações.

Devido às juntas de encaixe, todas as conexões podem ser desmontadas facilmente. O teto é feito de elementos revestidos de aço inoxidável pré-fabricado, que também podem ser facilmente desmontados.

Reconstrução
O complexo completo, com exceção da cripta, colunata e do espelho d'água, foi desmontado após a Expo e remontado na mesma sequência nas instalações do Monsteiro Volkenroda na Turíngia. Neste lugar, a Irmandade Jesus-Bruderschaft in Gnadenthal trabalha desde 1994 na reconstrução do mosteiro cisterciense mais antigo e ainda preservado na Alemanha.