Letônia, Jurmala, Riga 

Villa Guna

arrowImagesarrow

Cliente Guna Eglite
Concepção Meinhard von Gerkan
Colaborador Hinrich Müller
Execução Vincents, Riga
Período de construção 2005-2006
Área total de construção 635 m²

 

Photographers:

Heiner Leiska

www.leiska.de

O conceito
Os clientes - Guna Eglite e Leons Jakrins - adquiriram um terreno adicional diretamente ao lado do prédio de apartamentos situado na praia do mar Báltico perto de Riga, cuja estrutura foi projetada por Meinhard von Gerkan e concluída em 2001. Uma outra casa deveria ser construída neste terreno estreito, coberto de pinheiros, seguindo precisamente os desejos de Guna, "the very good lady".

Neste projeto, a própria funcionalidade de uma mansão não estava em primeiro plano, mas muito mais a experiência do espaço, manifestada pelo diálogo entre a natureza ao redor do terreno e a vista sobre as dunas até a praia de Riga.

A organização espacial

A Villa Guna se abre para o sul como um corpo em forma de "u". O visitante entra na casa sob uma projeção na parte ocidental, protegendo-se de intempéries. Esta parte ocidental da casa é uma entrada imponente e abriga nos seus andares superiores os quartos de dormir, inclusive banheiros e closets para a anfitriã e convidados. As salas encontram-se na parte leste da casa.
A estrutura é organizada como uma casa split-level (de vários níveis). Ou seja, os níveis são deslocados com uma altura de meio andar. Assim, uma rampa com vários patamares torna-se o elementro central da casa. Ela ocupa o centro e interliga os vários níveis, tornando-se parte da experiência espacial da residência. Salas adjacentes, como a biblioteca da casa, se abrem para o centro, permitindo que sejam vistas. Ao mesmo tempo, o visitante pode apreciar constantemente as diversas vistas da natureza. Assim, a circulação - a rampa - torna-se uma aventura.

A sala de estar
Uma ampla fachada de janelas abre a sala de estar para um terraço anteposto, direcionado para o sudoeste. A lareira como ponto central da sala já pode ser identificada de fora como elemento vertical. Através da posição da lareira, os moradores sempre têm uma relação espacial com o exterior. Um espaço livre vertical une a sala de estar de dois andares. Uma escada estreita de degraus simples embutidos na parede liga os dois níveis da residência de modo mais rápido. Nos dois níveis, a ondulação elegante do parapeito do mezanino é uma atração visual.

No segundo nível, a ondulação do parapeito em forma de "s" é enfatizada como uma simples escultura. A área do mezanino cria uma possibilidade de descanso e recolhimento. Este espaço com a lareira oferece aos seus usuários a mesma vista grandiosa para a floresta de Jurmala.

A torre
Além de inúmeros terraços e varandas, uma particularidade da Villa Guna permite que seus usuários estejam bem próximos da natureza. Uma plataforma no canto noroeste da residência se eleva 15 m acima do chão da floresta. A esculturalidade do corpo encontra sua perfeição aqui nesta torre-mirante. No meio das copas das árvores, onde se pressente o mar atrás delas, encontra-se a plataforma: talvez o lugar mais contemplativo da residência.